Posts

Provavelmente depois de um dia inteiro trabalhando em home office, sentando em frente a uma tela de computador, fazendo uma vídeo chamada atrás da outra, você chegará ao final do dia esgotado, física e mentalmente. Certo?

Isso é o que especialistas estão chamando em inglês de Zoom Fatigue. E  não está só relacionado a ferramenta Zoom, poderia ser chamado de Skype Fadiga, Hangouts Fadiga, Houseparty Fadiga….

As observações físicas e psicológicas, nos explicam que nas  conversas por vídeo precisamos trabalhar mais para processar pistas não verbais, como expressões faciais, tom da voz, multiplicado por 5, 10, 20 “carinhas” e, prestar mais atenção a tudo isso consome muita energia.

O silêncio é outro desafio e, ele acrescenta muita insegurança…será que não entenderam o que eu quis dizer? será que a conexão caiu? ou seja, nosso cérebro precisa fazer um esforço extra para compensar todos os aspectos da comunicação que nos faltam, e isso é muito desgastante.

Além disso, ficar olhando para o seu próprio rosto enquanto fala, traz um julgamento com relação a sua própria imagem, que para alguns incomoda demais.

Enfim, tudo isso potencializado por dezenas de vídeo-chamadas por semana, não pode ser efetivamente muito saudável.

Dizer que você não está sozinho e, que o que está sentindo é normal, não atenua tudo o que estamos vivendo e, tudo o que ainda vem pela frente.

Sabemos que, nesse momento, estar empregado e seguir em isolamento social é algo positivo, mas devemos refletir sobre os prejuízos causados por esse excesso de vídeos chamadas e  o mais importante, buscar minimizar os prejuízos causados.

Num futuro próximo, vamos ter que nos reinventar  e, descobrir novas formas de manter nosso ritmo de trabalho, de uma maneira menos intensa.

Nas matérias abaixo algumas colocações interessantes sobre esse tema tão novo para todos nós!

https://veja.abril.com.br/tecnologia/zoom-fatigue-o-esgotamento-provocado-pelo-excesso-de-videoconferencias/

https://www.bbc.com/worklife/article/20200421-why-zoom-video-chats-are-so-exhausting

https://hbr.org/2020/04/how-to-combat-zoom-fatigue

https://goop.com/wellness/mindfulness/zoom-fatigue/

O dia 20 de novembro é conhecido como o Dia da Consciência Negra, em referência a morte do Zumbi dos Palmares, figura de destaque no combate a escravidão.

Mas por que esse tema é tão importante? Ao longo de sua história, o Brasil se constituiu seguindo os preceitos do racismo, utilizado anteriormente para manter a escravidão. Essa constituição errônea, tornou o Brasil um país racista estruturalmente, pois o mesmo está presente nas relações sociais, políticas, econômicas, institucionais.
Para compreendermos o racismo nas instituições, basta nos questionarmos onde está a população negra dentro das nossas empresas? Quais são os cargos que ocupam?

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Ethos em 2016, embora a população brasileira seja composta 54% por pessoas negras, as mesmas ocupam apenas 5% dos cargos de lideranças nas maiores empresas do país. Quando falamos em mulheres negras em cargos de liderança, esse número reduz ainda mais, e passa a ser apenas de 1%.

O que nos leva a refletir: De quem é a responsabilidade para reverter essa estatística? Qual o papel do RH nesse processo?

Todos NÓS temos papel fundamental nessa luta, que esta apenas começando!

“Em um país racista não basta não ser racista, é necessário ser antirracista.”